Autoestima

 

Ter autoestima é acreditar que temos valor.

Que valemos tanto quanto qualquer outra pessoa, que as nossas opiniões valem tanto como a dos outros; é acreditar que os nossos pensamentos, as nossas emoções ou as nossas ambições têm todos valor em si mesmos e são suficientes para acreditarmos em nós próprios. Ter autoestima é, simplesmente, gostarmos de quem somos.

Todos sabemos o difícil que, por vezes, pode ser termos autoestima. Contudo, e dado que estamos no verão, há boas notícias. A Autoestima também se trabalha. Treina-se, constrói-se. Existem formas de melhorarmos a nossa autoestima, formas simples mas muito poderosas.

 

  • Saiba os seus pontos positivos

Toda a gente tem defeitos, é verdade, mas também todos têm qualidades. Saber identificar as suas qualidades e reforçá-las é essencial para solidificar a autoestima. É tão válido preocuparmo-nos com os aspetos negativos como com os positivos. A diferença está no impacto que isso tem na nossa vida. Ocupe-se com os aspetos positivos pois são esses que o farão progredir.

  • Identificar o que fez bem a cada dia

A isto se chama um diário positivo. As pessoas com autoestima sabem o que fizeram de bom e conseguem dar-se mérito por isso. Mesmo que seja uma linha escrita por dia, já é um princípio. Grandes resultados começam com pequenas ações. Comece por escrever nas “notas” do seu smartphone. É rápido, pessoal e intransmissível. Devagarinho vai tendo uma enciclopédia de motivos para se orgulhar.

  • Tenha objetivos

Defina objetivos claros e que queira atingir. Pode ser qualquer coisa, desde que tenha valor para si. Defina os seus objetivos e lute por eles. Pessoas com autoestima acreditam nas suas capacidades porque sabem que atingem os seus objetivos, por mais pequenos que sejam. Marcam uma hora, estão lá a essa hora. Têm um compromisso, cumprem, não faltam. No fundo, é como se ganhasse credibilidade perante si mesmo.

  • Aceite-se

Todos temos defeitos. Já o vimos. Todos nós. Não há uns com mais defeitos que outros. Não há defeitos melhores que outros. O que há são pessoas que aceitam os seus defeitos e lidam com eles de uma forma mais harmoniosa do que quem não se aceita. Não alimentam os defeitos por opção própria. Focam-se nas suas qualidades e tentam minimizar os seus defeitos.

Pensem nisto como um carro. Quando temos um carro, o nosso primeiro carro! Lembra-se? Adoramos o carro! Nem queremos saber o que outros acham, se é feio, se está todo riscado e usado, não interessa, é nosso! Porque é que adoramos este carro? Porque o aceitamos como é e tiramos o melhor partido dele. Usamo-lo como sinal da nossa liberdade e procuramos todos os seus lados mais positivos. Agora imagine se só se queixassem do vosso primeiro carro…não teria graça nenhuma, pois não?

  • Faça exercício

O exercício é uma excelente forma de melhorarmos a nossa autoestima porque é uma altura que nos dedicamos de corpo e alma a quem somos. Ao fazer exercício estamos a melhorar o nosso autoconhecimento mas também a superarmos limites e a surpreender-nos com isso. Sem esquecer que o corpo humano está desenhado para nos recompensar pela atividade física, fomos feitos para nos mexermos, logo, temos de nos mexer!

  • Faça-se rodear de pessoas positivas e de ambientes positivos

“Diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és”, é verdade! Se andarem com pessoas positivas e com autoestima, o mais provável é serem contagiados e ficarem assim também! Melhor ainda é frequentarem ambientes onde a autoestima é apreciada e, até, reforçada. Aí, por mais que tentem, só têm uma hipótese, terem alegria em serem quem são.

 

Portanto, não há melhor altura que o verão para recarregar as baterias e começar a lutar por uma vida melhor. Comece já hoje a tomar as decisões certas!

Tudo o que aqui vem escrito é posto em prática na STAT e damos muita importância ao que aqui se diz. Na verdade, os nossos treinos treinam e reforçam a autoestima dos alunos.

Como?

Simplesmente porque aplicamos os princípios acima descritos: Identificamos e reforçamos os aspetos positivos de cada aluno, reconhecemos aquilo que fazem bem, colocamos objetivos para todos, aceitamos todos os níveis e capacidades (evidentemente!), temos treinos intensos, dinâmicos e divertidos e, claro, criamos um ambiente positivo, seguro e estimulante.

 

Professor Pedro Tânger
Chief Instructor @ STAT Martial Arts