Bom Ano Passado, Bom Ano Futuro

Estamos no final do ano e é sempre uma altura de fazer um balanço. É das poucas vezes que nos damos permissão para parar, olhar para trás e ver o nosso progresso.

Vivemos demasiado tempo a olhar em frente, à procura do que ainda nos falta e do que ainda não alcançámos. Passamos o ano inteiro atrás dos objectivos e das metas, do próximo desafio ou do próximo motivo de descanso mas raras são as vezes em que paramos para avaliar o nosso progresso. A passagem de ano é uma dessas raras vezes no ano e por isso é que é uma altura tão importante para o nosso futuro.Curiosamente, a existência do Natal deixa-nos predispostos a uma introspecção. Seja por motivos religiosos ou laicos, o Natal é um momento inegável de aproximação e de recolha. É familiar, é acolhedor. É quente. É um regresso à infância, é a magia da troca, é a mesa cheia de gente. Seja por que motivo for, o Natal puxa-nos para dentro, para um bom “dentro”. E é precisamente nesta fase interior que começa um processo de avaliação do ano que foi, a avaliação do progresso de que aqui falo.

No passado dia 18, no exame nacional de cintos pretos, tive a oportunidade de falar sobre a importância de medirmos o nosso progresso e da necessidade de evitar a corrida à perfeição. Dizia-o especialmente para os cintos pretos pois tinham acabado de alcançar um objectivo traçado anos atrás. Tinham acabado de chegar ao cume de uma montanha que outrora sonharam em estar.

No entanto, vê-los ali foi, também, vê-los obrigados a lidar com um misto de emoções que iam do êxtase à frustração. Êxtase por terem atingido o cinto preto, frustração por sentirem-se tão imperfeitos quanto no primeiro dia que começaram a treinar, talvez até mais.

E agora?

Com isto achei relevante falar-lhes sobre o mesmo que trago aqui hoje: a importância de medirmos o nosso progresso. Olhando para trás, medirmos o que alcançamos ao longo do ano ou do percurso até ali. O que conquistámos? Que dúvidas tínhamos há um ano e que novas capacidades acumulámos? Que eventos inesperados aconteceram ao longo do ano? Quais deles foram surpresas, quais foram desgostos? Todos foram lições.

Medir o progresso permite-nos avaliar esforços, repensar formas de agir, redireccionar o nosso foco ou, simplesmente, orgulharmo-nos do que fizemos. É um exercício de sanidade e de mérito, tão pouco praticado pelos perfeccionistas deste mundo. Diria mesmo que aqueles que mais precisam de medir o seu progresso são os que menos o fazem: os eternos insatisfeitos. De tanto correrem atrás de objectivos impensáveis, sentem-se sempre incompetentes.

É por isto que devemos fugir da corrida à perfeição. Esse horizonte longínquo que sempre nos foge. Por mais que corramos na sua direcção, jamais o alcançaremos. Podemos esfolar-nos a tentar, podemos correr mais que todos os outros, mas o nosso horizonte será sempre um horizonte, nunca uma meta. Nesta corrida, não há lugar à satisfação, à alegria ou à felicidade. Toda a nossa energia está focada no inacabado. É uma armadilha e bem perigosa por sinal.

Portanto, é importante que todos equilibremos esta corrida em direcção ao futuro com uma sensata avaliação do vosso progresso ao longo do último ano. Convido-vos a fazerem esta avaliação de forma ainda mais consciente. Verão que fizeram muitas coisas este ano. Que se divertiram! Que superaram todos os vossos desafios e enfrentaram todos os vossos medos. Sobreviveram quando achavam que não. Verão, também, que se recordam das coisas com valor e que aquelas coisinhas que tanto vos atormentaram eram apenas coisinhas.

No final do ano, sobram as memórias que merecem ser lembradas e é com elas que devemos olhar para o futuro. Procurá-las de novo mais à frente e criar as condições para que novas experiências nos preencham.

É importante ser-se ambicioso e fazer tudo para atingir os nossos sonhos. Ainda assim, é fundamental valorizar o nosso percurso e reconhecer o nosso mérito e tudo o que nos construiu até aqui.

Por tudo isto que desejo que todos se elogiem e reconheçam o seu próprio valor – mais que ninguém, vocês sabem o que fizeram para chegarem aqui com esse estilo todo!

Parabéns a todos e venha 2017 em força!

Professor Tânger
Chief Instrutor